5 dicas para importar máquinas de forma menos burocrática e mais barata para a sua empresa

Importar produtos para produzir no Brasil é uma das estratégias que muitas empresas apostam para baratear a fabricação local e economizar recursos. De acordo com dados da Logcomex, startup de Big Data para o comércio exterior, a importação de máquinas industriais movimentou mais de US$ 1,6 bilhões em 2021.

 

A China é o principal parceiro comercial do Brasil e também do mundo, e representa quase metade de todo valor de importações. Seja para máquinas novas ou até mesmo usadas (que nesse caso, precisa ainda da aprovação da Subsecretaria de Operações de Comércio Exterior – SUEXT), a importação desses produtos ajuda a fomentar a indústria local e acelerar a produção nas fábricas.

 

Uma das grandes vantagens de empresas importarem máquinas é a busca por menores custos de aquisição e acesso a tecnologias mais avançadas.

 

Se você está começando no ramo ou já pratica importações e deseja saber mais sobre como importar máquinas e insumos para estas, separamos 5 passos para fazer isso de maneira menos burocrática e mais eficiente. Confira a seguir:

 
1- Documentação própria
 

Para fazer a importação de máquinas, é necessário possuir habilitação no Radar.

 

O registro no Radar (Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros) é obrigatório para qualquer tipo de compra no exterior e deve ser solicitado junto à Receita Federal. É importante fazer o requerimento com certa antecedência, pois pode levar em torno de 10 dias para ser liberado.

 
2 – Evite erros tributários
 

É fundamental classificar a máquina dentro da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) e vale lembrar que a classificação correta é essencial para evitar atrasos, multas e restrições.

 

Esta etapa é extremamente importante, pois erros na classificação podem inviabilizar a operação.

 

Existem vários impostos que podem incidir na importação de uma máquina. Isso porque, geralmente, são produtos de preço elevado, e a taxa pode considerar o ICMS para o importador.

 

Para evitar que esses problemas criem atrasos ou que seu produto fique parado nos recintos aduaneiros, o ideal é criar um checklist com todas as informações necessárias para não deixar nada passar despercebido.

 
3 – Confira informações no Portal Único Siscomex
 

Alguns produtos precisam de uma Licença de Importação (LI) – um documento pelo qual é feita a autorização da importação de determinados produtos. Seu deferimento pode ser pré ou pós embarque, e a não observância desse quesito pode gerar multas e mais atrasos na liberação, ou até mesmo ser barrado perante algum órgão aduaneiro. O Portal Único Siscomex traz uma lista de quais são esses materiais que necessitam de licença de importação – é necessária essa verificação prévia para não ser pego de surpresa quando a compra já estiver no Brasil.

 
4- Busque um fornecedor confiável
 

Um dos maiores problemas que existem hoje em dia no comércio internacional é a presença de fornecedores que tentam burlar a legislação do país ou, até mesmo, não se atentam a ela. Isso pode resultar em multas e até mesmo ser configurado como crime tributário.

 
5- Conte com uma Trading Company
 

Uma Trading Company é o melhor caminho para empresas que desejam importar de maneira rápida, barata e sem burocracias.

 

A Savixx é uma referência e conta com mais de 98% de liberação de cargas junto a Receita Federal. Confiabilidade e integridade são nossas marcas registradas para conseguir máxima eficiência e lucro para nossos clientes.

 

Se está em busca de importar produtos vindos de fora do Brasil, será um prazer ajudar! Entre em contato agora mesmo que enviaremos uma proposta personalizada.

Relacionados

Entregar um bom produto ou serviço só é possível quando se tem nos bastidores uma equipe comprometida e alinhada com os objetivos da empresa.

fonte: Farmnews O preço de importação de fertilizantes pelo Brasil caiu em março de 2024, alcançando o menor patamar desde o final de 2021.  ...

Leia mais

Brasil lutará por menos protecionismo e mais transparência no comércio no G20, diz coordenadora

fonte: O Dia   Brasília – O Brasil, que este ano preside o grupo das 20 maiores economias do globo (G20), lutará para que o...

Leia mais

Crescimento de 9,8% nas exportações no Boletim do Comércio Exterior do Agronegócio de Outubro

Em outubro de 2023, as exportações brasileiras totais apresentaram crescimento de 9,8% em relação ao mesmo mês de 2022. Apesar da redução nas exportações de...

Leia mais
Fechar